Associado
ASERC - Associação Nacional das Empresas de Recuperação de Crédito

Informativo

Publicado em 29/06/2016 10:51

Desemprego fica em 11,2% nos três meses até maio

O desemprego no país atingiu, em média, 11,2% nos três meses até maio.

O desemprego no país atingiu, em média, 11,2% nos três meses até maio. 

A taxa é maior do que a registrada no mesmo período do ano passado (8,1%), e também do que o trimestre anterior, de dezembro de 2015 a fevereiro de 2016 (10,2%). 

O desemprego do trimestre até maio, de 11,2%, é igual ao divulgado no mês anterior, dos três meses até abril. Para indicar se o desemprego subiu ou caiu, porém, o instituto usa como comparação o trimestre anterior (de dezembro a fevereiro), porque são dados totalmente diferentes.

Nos três meses até maio, o número de desempregados no Brasil chegou 11,4 milhões de pessoas. Em um ano, são aproximadamente 3,3 milhões a mais de desempregados, e em relação ao trimestre anterior, cerca de 1,1 milhão a mais.

Os dados foram divulgados nesta quarta-feira (29) e fazem parte da Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) Contínua, do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). São pesquisadas 211.344 casas em cerca de 3.500 municípios. A pesquisa usa dados de trimestres móveis, ou seja, de três meses até a pesquisa. Na de maio, são usados dados de março, abril e maio.

O IBGE considera desempregado quem não tem trabalho e procurou algum nos 30 dias anteriores à semana em que os dados foram coletados.

Comparação com resultados anteriores

Entre março e maio de 2016, a taxa de desemprego foi de 11,2%:

  • no trimestre anterior (dez-15 a fev-16), havia sido de 10.2%;
  • um ano antes (mar-15 a maio-15), havia sido de 8,1%;
  • no trimestre encerrado em abril (fev-16 a abr-16), havia sido de 11,2%.

O número de desempregados chegou a 11,4 milhões de pessoas:

  • no trimestre anterior (dez-15 a fev-16), havia sido de 10,4 milhões;
  • um ano antes (mar-15 a maio-15), havia sido de 8,2 milhões;
  • no trimestre encerrado em abril (fev-16 a abr-16), havia sido de 11,4 milhões.

 

Fonte: UOL