Associado
ASERC - Associação Nacional das Empresas de Recuperação de Crédito

Informativo

Publicado em 29/08/2016 05:34

Inadimplência das empresas é fator preocupante para a economia

Carga tributária brasileira e os prováveis aumentos de tributos, bem como o seu impacto no mercado financeiro e na economia como um todo foi o tema apresentado pelo presidente do Conselho Superior

Carga tributária brasileira e os prováveis aumentos de tributos, bem como o seu impacto no mercado financeiro e na economia como um todo foi o tema apresentado pelo presidente do Conselho Superior e Coordenador de Estudos do Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação- IBPT, Gilberto Luiz do Amaral, nesta manhã, 9 de agosto, na sede do banco Suíço, Credit Suisse, para uma plateia composta por analistas de mercado e profissionais da área de investimentos.

Durante a palestra, Amaral abordou questões como a inadimplência das empresas brasileiras, que, segundo ele, é um fator muito preocupante para a economia,

Durante a palestra, Amaral abordou questões a respeito da carga tributária brasileira e a inadimplência dos contribuintes, que, segundo ele, é um fator muito preocupante para a economia.

Segundo o tributarista é a primeira vez que o estoque da dívida dos contribuintes e empresas ultrapassou a arrecadação anual da união, estados e municípios. “A situação para os contribuintes está cada vez mais difícil, as empresas têm gastos exorbitantes e as altas taxas de tributos acarretam a inadimplência, que vem crescendo a cada ano”, afirma o presidente do Conselho Superior e Coordenador de Estudos do IBPT.

Amaral, acredita que, após a resolução do impeachment, o governo deve adotar as seguintes medidas: revisão das desonerações, tributação dos lucros, volta da CPMF, aumentos de ICMS e a prováveis mudanças no PIS e COFINS.

Estes possíveis aumentos de tributos devem se refletir no déficit público e no desiquilíbrio das contas públicas, porque tanto o governo federal quanto os estados e municípios estão com seus caixas combalidos e ainda por cima necessitando de urgentes de investimentos públicos, em especial por causa das próximas eleições municipais e as de 2018. “O País precisa voltar a oferecer uma expectativa positiva e de segurança para os investidores”, alerta o especialista, ressaltando que antes de aumentar tributos os governos deveriam fazer uma racionalização dos seus gastos.

Gilberto Luiz do Amaral, além de presidente do Conselho Superior do IBPT é advogado tributarista, contador, consultor, sócio da Amaral, Yazbek Advogados. É também professor de pós-graduação e de aperfeiçoamento em direito, gestão e planejamento tributário.

O diretor de estratégia de renda variável do Credit Suisse para América Latina, Andrew T. Campbell, foi o moderador do encontro.

 

 

Fonte: Blog Televendas