Associado
ASERC - Associação Nacional das Empresas de Recuperação de Crédito

Informativo

Publicado em 19/01/2017 10:59

ONU prevê crescimento de 0,6% para economia brasileira em 2017

Para 2016, a instituição estima que o PIB brasileiro tenha se retraído 3,2%; perspectivas para economia brasileira são piores do que média mundial.

A organização das Nações Unidas (ONU) prevê uma expansão de 0,6% da economia brasileira em 2017, de acordo com o relatório Situação Econômica Mundial e Perspectivas 2017, divulgado nesta terça-feira (17) em Nova Iorque.

A previsão da ONU é de que a economia brasileira tenha recuado 3,2% em 2016. Já em 2018, a expectativa é de alta de 1,6% no Produto Interno Bruto (PIB).

O crescimento do Brasil está abaixo das projeções de expansão da economia global. O relatório da ONU prevê crescimento de 2,2% na economia mundial em 2016, a menor taxa desde a recessão de 2009. Para 2017, a ONU espera um crescimento de 2,7% na economia mundial e de 2,9% em 2018.

Na lista de 43 países emergentes, o crescimento previsto para o Brasil em 2017 é o quinto mais tímido, à frente apenas da Síria (-5%), Venezuela (-3,7%), Colômbia (0,5%) e Trinidad e Tobago (0,5%).

Para a América Latina, a previsão da ONU é de expansão de 1,3% no PIB da região em 2017 e de 2,1% em 2018. A instituição espera que a região tenha fechado o ano de 2016 com retração de 1%.

O relatório Situação Econômica Mundial e Perspectivas 2017 é a principal publicação da ONU em tendências da economia global. É produzido anualmente pelo Departamento de Assuntos Econômicos e Sociais da ONU, a Conferência das Nações unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (Unctad), cinco comissões regionais e a Organização Mundial de Turismo (UNWTO).

Outras projeções

O Fundo Monetário Internacional (FMI) anunciou na última segunda-feira (16) que prevê um crescimento de 0,2% para a economia brasileira em 2017. Trata-se de uma redução em relação à projeção anterior, que previa uma expansão de 0,5% na economia.

As estimativas das organizações internacionais estão mais pessimistas do que a previsão oficial do governo brasileiro para o resultado da economia este ano, de alta de 1% no PIB. O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou nesta segunda-feira (16) que a projeção oficial deverá ser revisada nos próximos dias.

 

 

Fonte: G1