Associado
ASERC - Associação Nacional das Empresas de Recuperação de Crédito

Informativo

Publicado em 28/04/2014 10:10

Venda de carros novos cai no Paraná, mas cresce 15% em Londrina

Na contramão do que ocorreu no restante do Estado, que registrou queda de 4,5% nas vendas entre janeiro e março, concessionárias de Londrina não observam desaquecimento.

A venda de carros novos aumentou 15% no primeiro trimestre em Londrina. A cidade foi na contramão no volume de vendas do restante do Estado, que apresentou uma queda de 4,5% entre os meses de janeiro e março de 2014. Ainda assim, a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave) alerta que o número maior de feriados e a Copa do Mundo não devem favorecer as vendas ao longo do ano.

No primeiro trimestre deste ano, 81.826 carros novos foram emplacados em todo o Paraná - 3.896 veículos a menos do que no mesmo período de 2013, quando 85.722 carros novos foram comprados.

Em Londrina, porém, houve alta de 15% nas vendas. De janeiro a março de 2014, 6.380 veículos foram emplacados na cidade - 838 veículos a mais do que no mesmo período do ano passado.

As concessionárias de veículos afirmam que as vendas sofreram variações entre janeiro e março. “As vendas aumentaram sim, principalmente em janeiro. O mês passado [março] foi mais tranquilo nas vendas, mas agora parece que começou o ano realmente”, destacou Fábio Sitta, gerente de uma das concessionárias da Ford em Londrina.

A volta da cobrança do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) parece não ter refletido diretamente nas vendas. “Em janeiro ainda tínhamos carros com o preço antigo [sem IPI] no estoque, mas em abril não temos mais e as vendas já alavancaram”, garantiu José Fernandes, gerente da Fiat em Londrina. Segundo ele, as vendas oscilaram no primeiro trimestre. “Nós tivemos um mês de janeiro muito bom, mas um fevereiro e março fracos. Foram dois meses em que as vendas caíram, mas em abril já começamos a recuperar.”

De acordo com Flávio Meneghetti, presidente da Fenabrave, o aumento de 15% nos novos emplacamentos foi atípico. “Foi algo bem pontual. Foi uma venda muito grande que uma empresa fez em janeiro que alavancou. Nesse período, foram duas vendas significativas que ajudaram a puxar as vendas no mercado para cima”, destacou.

Meneghetti ressalta ainda que a previsão é de que o saldo final de 2014 não acompanhe essa alta. “A previsão é que a gente repita um pouco das vendas do ano passado. Temos sete dias a mais de feriado em 2014 e, em função da Copa do Mundo, também vai impactar, pois teremos o brasileiro durante um mês inteiro em frente à televisão e isso deve atrapalhar o volume de vendas.”

A hora é agora

Para a economista Clévia Israel França, o possível aumento na taxa Selic – que serve de referência para a economia brasileira - pode atrapalhar os planos de quem pretende comprar um carro novo no segundo semestre. “Em conversas com gerentes de banco a informação é de que agora seria o momento de trocar de carro. A previsão é de alta nas taxas de juros após a Copa ou até o final deste ano. Com isso, vai ficar caro demais financiar um carro.”

Segundo ela, caso a alta nos juros realmente ocorra, a saída para quem pretende trocar o carro no segundo semestre é apostar no consórcio. 

http://www.jornaldelondrina.com.br/economia/conteudo.phtml?tl=1&id=1464335&tit=Venda-de-novos-cai-no-Parana-mas-cresce-15-em-Londrina