Associado
ASERC - Associação Nacional das Empresas de Recuperação de Crédito

Informativo

Publicado em 28/04/2014 10:51

Foco do consumidor é pagar o que deve

Pesquisas mostram que para alcançar este objetivo brasileiros estão mais cautelosos com seus gastos.

Duas pesquisas divulgadas nos últimos dias mostram que o consumidor está inadimplente, mas está moderando os gastos e procurando pagar o que deve. Em pesquisa trimestral da Boa Vista SCPC, 70% dos entrevistados declararam que não pretendem fazer compras nos próximos meses. Além disso, 73% das pessoas ouvidas disseram que tinham planos de quitar totalmente o valor devido em até 15 dias. No geral, a inadimplência recuou 5% no primeiro trimestre deste ano na comparação com o último trimestre de 2013. 

"Os resultados da pesquisa nos levam a concluir que, a despeito de se perceberem mais endividados, os consumidores demonstram que estão avançando no controle de suas finanças. E por isso estão otimistas em relação a pagar o que devem. Mesmo que isso signifique repensar o momento para assumir novas despesas", analisa Fernando Cosenza, diretor de sustentabilidade da Boa Vista SCPC. 

Pesquisa da Fecomércio-PR mostrou que, em abril, caiu de 88,8% para 85,6% o número de famílias endividadas – que possuem parcelamentos, financiamentos e outras dívidas a pagar - no Paraná. A quantidade de pessoas com contas em atraso também teve leve queda, de 25,7% para 25,2%. Com isso, a inadimplência (atraso de 90 dias no pagamento das contas) baixou de 10,4% para 9,2% no mesmo mês. 

Segundo a coordenadora da pesquisa da Fecomércio-PR, Priscila Takata, os números do endividamento se mantêm estáveis desde fevereiro, o que mostra que o consumidor está se contendo um pouco mais para pagar suas dívidas e não contrair outras. Para ela, a tendência é que este índice se mantenha ou tenha apenas uma leve queda nos próximos meses. 

O cartão de crédito é a dívida de 67,7% dos paranaenses. Em seguida, vêm o financiamento de veículos (13,9%) e o financiamento imobiliário (6,9%). 

Conforme as pesquisas, mesmo inadimplente, o brasileiro está otimista em relação à melhora de sua situação financeira, e quando isso ocorrer, seu sonho é comprar um carro ou uma moto. Para o educador e terapeuta financeiro Reinaldo Domingos, presidente da DSOP Educação Financeira, sair da situação de inadimplência para chegar à realização de um sonho envolve fazer um diagnóstico de sua situação financeira, definir prioridades, reduzir excessos, fazer um orçamento familiar e poupar mensalmente. 

Durante o processo, a ajuda da família é essencial, ressalta o terapeuta financeiro. "É preciso que a família esteja reunida e converse sobre os seus projetos de vida." 

Mas o fato de o desemprego ter se mostrado como o principal motivo do atraso nas contas mostra que o brasileiro não sabe poupar. "Mostra sua total fraqueza da estrutura financeira. Significa que ele não fez nenhuma reserva para um período de dificuldade familiar." 

Além disso, mesmo sem uma fonte de renda, é comum o desempregado manter o mesmo padrão de vida de quando estava empregado. Na situação de desemprego, de acordo com Domingos, a família precisa entrar em uma verdadeira "operação de guerra". "Tem que parar todo mundo e dizer: 'vamos viver para sobreviver, sem excessos'." Segundo avalia, uma reserva financeira serve não apenas para a sobrevivência, mas também para um eventual investimento na carreira com vistas no retorno ao mercado de trabalho. (Com Agência Estado)

http://www.folhaweb.com.br/?id_folha=2-1--3420-20140427&tit=foco+do+consumidor+e+pagar+o+que+deve