Associado
ASERC - Associação Nacional das Empresas de Recuperação de Crédito

Informativo

Publicado em 22/12/2017 08:26

Consórcio cresce 10,5% para veículos leves

De janeiro a outubro foram vendidas mais de 930 mil novas cotas

A venda de novas cotas de consórcio para automóveis e comerciais leves somou de janeiro a outubro 932,1 mil unidades, registrando alta de 10,5% sobre o mesmo período do ano passado. Os modelos leves vêm anotando crescimento não só na venda de cotas, mas em todos outros dados importantes no acumulado dos dez primeiros meses, segundo a Associação Brasileira das Administradoras de Consórcios (Abac).

O volume de créditos comercializados, resultado da multiplicação das novas cotas por seus valores, atingiu R$ 38,6 milhões, 16,6% a mais que de janeiro a outubro do ano passado.

Outro crescimento registrado é o de participantes ativos, pessoas estão pagando as parcelas tendo ou não sido contempladas. Até outubro elas somavam 3,46 milhões, 4,2% a mais que nos mesmos dez meses de 2016. E as contemplações, traduzidas em 452,5 mil cartas de crédito emitidas de janeiro a outubro, crescimento de 4,9% sobre iguais meses de 2016.

E o volume de créditos disponibilizados, somatório dos valores de todas as cartas de crédito emitidas até outubro, atingiu R$ 18,46 bilhões, alta de 5,5%. Estudo recente da Abac mostrou um dado interessante: 75% das cartas de crédito emitidas pelas administradoras de consórcios são utilizadas para a compra de veículos usados.

MOTOS AINDA EM QUEDA, MAS COM HORIZONTE DE MELHORA

A venda de novas cotas de consórcio para motos atingiu em setembro e outubro os melhores meses de 2017, com 78 mil e 75 mil novas cotas, respectivamente, mas no acumulado do ano, o volume total atingiu 715,1 mil unidades e queda de 3,4% ante o mesmo período de 2016.

O setor também vem perdendo participantes ativos. No acumulado até outubro eles eram 2,2 milhões, 12,6% a menos que em igual período de 2016. As contemplações (457,5 mil) recuaram 15,7% e o volume de créditos disponibilizados (R$ 4,9 bilhões) diminuiu 15,4%. Contam a favor das motos os créditos comercializados no período, R$ 6 bilhões, alta de 4,7%.

Fonte: http://abac.org.br/sistema/noticiasTextuais/1_(201712145034)automotive2.pdf