Associado
ASERC - Associação Nacional das Empresas de Recuperação de Crédito

Informativo

Publicado em 06/05/2014 08:43

MERCADO FINANCEIRO

Suporte A Bovespa fechou ontem no maior patamar desde 18 de novembro de 2013, ajudada pela leve recuperação das bolsas de Nova York à tarde após uma sessão volátil em Wall Street.

Subiu
Dólar
Desceu
Petrobras PN 

Suporte
A Bovespa fechou ontem no maior patamar desde 18 de novembro de 2013, ajudada pela leve recuperação das bolsas de Nova York à tarde após uma sessão volátil em Wall Street. O Ibovespa também recebeu suporte de uma pesquisa eleitoral, divulgada no fim de semana, que apontou queda das intenções de voto na presidente Dilma Rousseff. 

Alta
No fim da sessão, a Bovespa terminou com alta de 0,88%, aos 53.446,17 pontos. Na máxima do dia, o Ibovespa atingiu 53.506 pontos (+0,99%) e na mínima, tocou 52.931 pontos (-0,09%). No mês, a bolsa acumula alta de 3,53% e no ano, ganho de 3,76%. O volume de negócios era de R$ 6,588 bilhões, segundo dados preliminares. 

Reflexo
A Bovespa abriu a sessão em alta, após a pesquisa Sensus, que indicou a realização de segundo turno nas eleições presidenciais, dar fôlego para os negócios. Segundo a sondagem, Dilma teria 35% das intenções de votos, enquanto o senador tucano Aécio Neves (MG) aparece com 23,7%, e o ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB), 11%. 

Novidade
Também esteve no radar dos investidores, a entrada em vigor ontem da nova carteira do Ibovespa com a implementação de 100% da nova metodologia de sua composição. As ações preferenciais do Itaú Unibanco, agora, são as de maior peso, com participação de 9,973%, seguida por Petrobras PN (7,795%) e pelas preferenciais do Bradesco (7,480%). No fim da sessão, Itaú Unibanco PN (+1,07%), Petrobras ON (+1,11%), Petrobras PN (-0,17%), Bradesco ON (+2,17%), Vale ON (-0,30%) e Vale PNA (-0,73%). 

Dólar
O dólar fechou em alta ante o real ontem. O dólar à vista no balcão terminou o pregão com alta de 1,17%, a R$ 2,2470 - maior nível desde 3 de abril. O giro, no entanto, era bastante baixo perto das 16h30, a US$ 674,03 milhões, segundo dados da clearing de câmbio da BM&FBovespa. No mercado futuro, o dólar para junho avançava 1,23%, a R$ 2,2660. O volume de negócios também estava abaixo do normal, próximo de US$ 10,99 bilhões. 

Juros
Os juros futuros fecharam em alta ontem, acompanhando o avanço do dólar e a alta nos yields dos Treasuries. Os volumes de negociação, no entanto, foram baixos e os participantes do mercado aguardam o IPCA de abril, que será divulgado na sexta-feira, para definir as apostas para a reunião do Copom no fim do mês. Ao fim da sessão regular na BM&FBovespa, o DI para julho de 2014 apontava 10,859%, de 10,853% no ajuste de sexta-feira. O DI para janeiro de 2015 estava em 10,99%, de 10,98% no ajuste anterior. O DI para janeiro de 2017 projetava taxa de 12,24%, de 12,16% no ajuste anterior. O DI para janeiro de 2021 marcava 12,52%, de 12,45%. 

Agência Estado

http://www.folhaweb.com.br/?id_folha=2-1--622-20140506