Associado
ASERC - Associação Nacional das Empresas de Recuperação de Crédito

Informativo

Publicado em 16/04/2018 08:55

Consórcio de veículos leves cresce 5,7%

Começo do ano também foi positivo para pesados, mas ruim para motocicletas

O consórcio começou o ano em alta. A venda de novas cotas para veículos leves (automóveis e pequenos comerciais) em janeiro registrou 85 mil unidades e crescimento de 5,7% sobre o mesmo período do ano passado. Os créditos comercializados, que resultam da multiplicação das novas cotas por seus valores, atingiram R$ 3,5 bilhões, crescendo 7,4% sobre janeiro do ano passado.

Os números foram divulgados pela Associação Brasileira das Administradoras de Consórcio (Abac). Os participantes ativos, aqueles que mantêm o pagamento de suas parcelas tendo ou não sido contemplados, superaram os 3,5 milhões e anotaram pequena alta de 3,7% sobre o primeiro mês do ano passado.

Os veículos pesados (caminhões, ônibus, semirreboques, tratores e implementos) também tiveram um bom início de ano com a venda de 3,9 mil novas cotas, 23,5% a mais do que em janeiro do ano passado. O volume de créditos comercializados no segmento atingiu R$ 572,3 milhões, aumento de 28,5%. A Abac atribui a melhora à recuperação da economia e à perspectiva de colheita de uma nova grande safra.

O confronto com janeiro do ano passado revela aumento de 7,5% nas contemplações (de 2,65 mil para 2,85 mil) e de 3,7% no tíquete ou valor médio das novas cotas de veículos pesados (de R$ 141,4 mil para R$ 146,7 mil).

COMEÇO DIFÍCIL PARA DUAS RODAS

Apesar do esforço das montadoras, o consórcio de motocicletas começou o ano em queda. Segundo a Abac, em janeiro foram vendidas 70 mil novas cotas, 4,1% a menos que no mesmo mês do ano passado. Dois motivos estariam levando a isso: a maior facilidade de obtenção de crédito (CDC) e a persistência do desemprego entre as classes C, D e E, em que se concentram os consumidores de motocicletas.

Exceto pelo tíquete médio, que se manteve estável em R$ 8 mil, todos os outros números analisados pela Abac registraram queda no segmento de motos. Os participantes ativos em janeiro eram 2,1 milhões, 11,9% a menos que no mesmo mês do ano passado. As contemplações (cartas de crédito emitidas) somaram 42 mil unidades, 8,7% a menos que as de janeiro do ano passado.

O somatório de todos os segmentos (leves, pesados e motos) mostra a venda de 158,9 mil novas cotas e crescimento de apenas 1,5% sobre janeiro do ano passado.

Fonte: http://abac.org.br/sistema/noticiasTextuais/1_(201804094937)automotive_business.pdf