Associado
ASERC - Associação Nacional das Empresas de Recuperação de Crédito

Informativo

Publicado em 12/02/2019 03:52

É possível usar consórcio como capital de giro?

A resposta é NÃO

A resposta é NÃO! O objetivo do consórcio é propiciar aos seus participantes a aquisição de bens e serviçosEngana-se quem pensa que é possível utilizar o crédito consórcio para outra finalidade, como para capital de giro. Saiba mais!

É possível usar consórcio como capital de giro?

Capital de giro é o dinheiro necessário para viabilizar o funcionamento da empresa. São esses recursos que viabilizam a venda a prazo e a manutenção dos estoques, por exemplo.

Não é possível o uso do consórcio com esse objetivo. Isso porque, quando da contemplação, o crédito não é pago ao consorciado, e sim diretamente ao fornecedor ou prestador de serviços escolhido pelo consorciado.

O consorciado só pode retirar o crédito em dinheiro se atendidas as seguintes condições determinadas pelo Banco Central do Brasil: quitação de todo o saldo devedor e passado o prazo de 180 dias da contemplação. Qualquer outra condição, como alienação do bem, para pagamento do crédito em dinheiro ao consorciado é ilegal.

Apesar de não ser possível adquirir consórcio para fazer capital de giro, a modalidade oferece diversas oportunidades à pessoa jurídica.

Com o consórcio, por exemplo, é possível adquirir salas comerciais, galpões e até terrenos para ampliar as instalações do seu negócio. As pessoas jurídicas já representam 18,9% dos consorciados deste segmento, segundo levantamento da ABAC realizado no ano passado.

Já o consórcio de veículos possibilita aumentar ou renovar frotas de veículos. Para quem é do agronegócio, o consórcio oferece até mesmo condições de pagamento diferenciadas. Esse é um dos motivos que fazem as pessoas jurídicas serem quase 40% do total de participantes desse segmento.

As regras do consórcio são as mesmas, independentemente se a pessoa é de natureza física ou jurídica. Após definição do tipo de bem ou serviço que será adquirido, basta escolher administradoras autorizadas pelo Banco Central. 

Fonte: https://www.jornaldoconsorcio.com.br/e-possivel-usar-consorcio-como-capital-de-giro