Associado
ASERC - Associação Nacional das Empresas de Recuperação de Crédito

Informativo

Publicado em 22/07/2014 02:50

MERCADO FINANCEIRO

Subiu Ibovespa Desceu Dow Jones

Eleições
A última pesquisa eleitoral do Instituto Sensus, divulgada no fim de semana, animou investidores ao mostrar empate técnico, no segundo turno, entre os candidatos Dilma Rousseff e Aécio Neves. Com isso, após ganhos acumulados de 4% na última semana, a Bovespa oscilou de novo em alta ontem, favorecida pelas ações de Petrobras e Vale. O setor financeiro reforçou os ganhos após novo cálculo da Procuradoria Geral da República (PGR) sobre eventual impacto da correção dos planos econômicos sobre os bancos. No fim, o Ibovespa mostrou alta de 1,09%, aos 57.633,92 pontos, maior patamar desde 12 de março de 2013. 

Correção
A PGR informou ontem que o possível prejuízo para os bancos, caso eles percam a disputa em torno dos planos econômicos e do impacto no saldo da poupança, foi reduzido de R$ 441,7 bilhões para R$ 21,87 bilhões. Isso porque, antes, a PGR havia considerado todo o saldo da poupança na época, agora, a instituição considerou apenas a chamada faixa livre de exigências (a de recursos que não precisam ser obrigatoriamente aplicados no financiamento imobiliário ou no crédito rural). 

Altas
O papel ON da Petrobras subiu 1,56% e o PN teve alta de 1,85%, enquanto Vale ON avançou 0,35% e Vale PNA teve ganho de 0,43%. Já BB ON (+2,30%), Bradesco PN (+0,80%) e Itaú Unibanco PN (+0,85%) subiram em função do novo cálculo da Procuradoria. O giro da Bolsa totalizou R$ 10,975 bilhões, sendo R$ 4,399 bilhões ligados ao exercício de opções sobre ações. 

EUA
Em Nova York, os principais índices de ações fecharam em baixa, em um movimento de aversão ao risco. O Dow Jones cedeu 0,28%, aos 17.051,73 pontos, o S&P 500 teve baixa de 0,23%, aos 1.973,63 pontos, e o Nasdaq cedeu 0,17%, aos 4.424,70 pontos. 

Dólar
O dólar à vista de balcão cedeu 0,31%, para R$ 2,2230. No mercado futuro, a moeda para agosto cedia perto do fim da tarde 0,27%, para R$ 2,2295. No exterior, o movimento do dólar é misto, com a moeda em alta ante algumas divisas de países emergentes ou exportadores de commodities e em baixa ante outras. 

Juros
O juro para outubro de 2014 (35.525 contratos) estava em 10,780%, de 10,777% no ajuste anterior. A taxa do DI para janeiro de 2015 (85.420 contratos) marcava 10,74%, de 10,73% no ajuste de sexta-feira. A taxa do DI para janeiro de 2016 (95.385 contratos) indicava 10,94%, igual ao ajuste anterior. O DI para janeiro de 2017 (146.645 contratos) cedia a 11,13%, de 11,20% no ajuste anterior. E o DI para janeiro de 2021 (39.865 contratos) estava em 11,47%, de 11,61% no ajuste anterior.

Agência Estado
 
http://www.folhaweb.com.br/?id_folha=2-1--2533-20140722&tit=mercado+financeiro