Associado
ASERC - Associação Nacional das Empresas de Recuperação de Crédito

Informativo

Publicado em 12/12/2014 09:26

Londrina salta dez posições no ranking do PIB em um ano

Desempenho de 2012 coloca cidade na 45ª colocação depois de queda de 11 posições de 2007 até 2011 entre as cem maiores

Londrina passou da 55ª colocação em 2011 para a 45ª no ano seguinte entre as cem cidades do País com maior Produto Interno Bruto (PIB) em valores correntes, conforme divulgado ontem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Entre os dois anos, o montante saltou de R$ 10,773 bilhões para R$ 12,826 bilhões, o que representa um aumento de 19%.

O resultado é explicado pelo fato de o mau momento da indústria naquele ano ter repercutido negativamente nos dados de cidades que estavam acima da londrinense no ranking. Ao mesmo tempo, o alto preço das commodities elevou a renda na região, gerou mais consumo de produtos e serviços e alavancou a economia local.

Também houve alta na representatividade do PIB de Londrina nos números nacionais, de 0,26% do total em 2011 para 0,29% em 2012. Foi na renda per capita, entretanto, que o aumento foi mais expressivo, ao passar de R$ 21.071 para R$ 24.871 no comparativo.

Parte da explicação está na queda no desempenho da indústria de transformação no período. Como Londrina não é forte no setor, não houve reflexo significativo. O PIB líquido (descontados os impostos) local da indústria passou de R$ 1,656 bilhão para R$ 1,783 bilhão em um ano, alta de 7,6%. Também é preciso olhar para as dificuldades de cidades mais industriais, como as paulistas Diadema e São Caetano do Sul, que perderam posições entre 2011 e 2012.

No caso da agropecuária, porém, que tem peso mínimo na economia da cidade, o bom desempenho aponta para uma distribuição de renda para o consumo e serviços. O valor corrente foi de R$ 133 milhões para R$ 193 milhões, ou 45,1% a mais. O economista Francisco Castro, do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (Ipardes), afirma houve quebra de safra, que elevou os preços no mercado internacional e gerou grande receita no setor. "Como Londrina é uma cidade polo, acaba se apropriando do consumo de outros municípios pelos produtos e pelos serviços", diz.

Castro ressalta que o setor de serviços de Londrina representou 81% de todo o PIB líquido gerado na cidade, ou R$ R$ 8,478 bilhões, alta de 10,5% sobre os R$ 7,670 bilhões de 2011. "No Paraná, a média de serviços é de 66%, então Londrina se consolidou como um polo regional no setor", conta.

Os números foram recebidos pelo presidente do Instituto de Desenvolvimento de Londrina (Codel), Bruno Veronesi, como uma reação da economia local. "A cidade está precisando de boas notícias e o fato de começar a reverter a curva de decrescimento é positivo", diz.

No entanto, o presidente da Codel diz que não se deve ficar satisfeito com o PIB atual, porque cidades com porte semelhante, como Joinville (SC) e Ribeirão Preto (SP), têm desempenhos muito superiores, em R$ 18,299 bilhões e R$ 20,300 bilhões, respectivamente. "Mesmo a renda per capita de R$ 24 mil é baixa na comparação com cidades com a mesma população de Londrina", diz, ao completar que a receita é investir em industrialização, sem deixar de fomentar serviços, comércio e educação.

No Estado


Curitiba se manteve na quarta colocação entre os municípios com maior PIB do País, atrás de São Paulo, Brasília e Rio de Janeiro. O Estado tem nove entre as cem maiores economias do Brasil e também se consolidou na Região Sul, com o maior número de representantes na lista dos dez mais, com São José dos Pinhas e Araucária, além da capital e de Londrina.

http://www.folhaweb.com.br/?id_folha=2-1--1624-20141212&tit=em+um+ano+londrina+avanca+10+posicoes+em+ranking+do+pib