Associado
ASERC - Associação Nacional das Empresas de Recuperação de Crédito

Informativo

Publicado em 16/12/2014 09:34

Focus revê para baixo previsão de crescimento do PIB

Previsão para o IPCA deste ano se manteve em 6,38%

Brasília - Com a proximidade do fim do ano, analistas fazem ajustes mais finos para as estimativas de inflação no Relatório de Mercado Focus, atualizado ontem pelo Banco Central. Mais uma vez houve redução da estimativa para o Produto Interno Bruto (PIB) de 2014, que passou de 0,18% para 0,16%. Há um mês a expectativa mediana para o crescimento do País estava em 0,21%. Para 2015, há uma perspectiva dos analistas de que haverá um crescimento de 0,69%, valor também inferior à previsão da semana anterior, quando estava em 0,73%. Quatro semanas antes, a estimativa estava em 0,80%.

No boletim Focus, a mediana das estimativas do mercado para a produção industrial revela uma expectativa de queda de 2,50% este ano - mesmo patamar da semana passada. Há quatro semanas, essa projeção era uma queda de 2,30%. Para 2015, o crescimento desse segmento deve ser de 1,13%, ante 1,23% do levantamento anterior.

Os economistas também ajustaram suas estimativas para o indicador que mede a relação entre a dívida líquida do setor público e o PIB em 2014, que passou de 36,00% para 35,90% - um mês antes estava em 35,80%. Para 2015, a mediana subiu de 36,35% para 37,00%.

Inflação


Analistas mantiveram as projeções para a inflação deste e do próximo ano. Para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor amplo (IPCA) de 2014, a mediana das projeções se manteve em 6,38% e, para 2015, em 6,50%. Há um mês, as duas projeções estavam no mesmo patamar, de 6,40%. No caso das expectativas para a inflação suavizada 12 meses à frente, o ajuste foi de 6,63% para 6,62% - há um mês, estava em 6,44%.

No Top 5 de médio prazo, que é o grupo dos economistas que mais acertam as projeções, a previsão para o IPCA deste ano foi mantida em 6,28%. Para 2015, esse mesmo grupo manteve a mediana das estimativas em 6,20%. Quatro semanas atrás, estava em 6,50%. Para o curto prazo, a taxa para dezembro foi mantida em 0,75%. Já a de janeiro foi alterada de 0,90% para 0,91%. Um mês antes, essas taxas estavam, respectivamente, em 0,69% e 0,84%.

Câmbio


O relatório trouxe mudanças nas estimativas para o câmbio. A mediana das projeções para o dólar no fim de dezembro de 2014 foi elevada de R$ 2,55 para R$ 2,60. Há um mês, estava em R$ 2,53. Para 2015, a cotação também subiu, passando de R$ 2,70 para R$ 2,72. A projeção para o câmbio médio deste ano subiu de R$ 2,35 para R$ 2,36, ante um valor de R$ 2,35 há quatro semanas. Para o ano que vem, a mediana do dólar médio subiu de R$ 2,60 para R$ 2,65.

http://www.folhaweb.com.br/?id_folha=2-1--2066-20141216&tit=focus+reve+para+baixo+previsao+de+crescimento+do+pib