Associado
ASERC - Associação Nacional das Empresas de Recuperação de Crédito

Informativo

Publicado em 12/03/2015 11:15

Faturamento do comércio em janeiro cai 1,4% em Londrina

Venda de veículos puxa desempenho da cidade para baixo na comparação com mesmo mês de 2014, enquanto segmento de combustíveis tem destaque positivo

O faturamento do comércio de Londrina apresentou queda de 1,44% em janeiro na comparação com o mesmo mês de 2014, puxado pela redução de 26,68% nas vendas de concessionárias de veículos em igual comparativo, segundo a Pesquisa Conjuntural da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio-PR). O setor da cidade acompanhou a tendência de variação negativa de Maringá (-0,26%) e do Sudoeste (-4,40%). 

Tiveram altas a região Oeste do Estado (0,69%), a Região Metropolitana de Curitiba (RMC, 7,08%) e Ponta Grossa (15,05%), que fizeram com que a média estadual fechasse no azul, em 3,87%. No entanto, economistas de duas associações comerciais consideraram estranhos os números do município dos Campos Gerais, principalmente porque, na comparação com dezembro, que costuma ser o melhor mês do ano em vendas em qualquer local, houve alta de 4,47%. 

A Fecomércio-PR somente poderia disponibilizar um porta-voz para explicar a pesquisa hoje. O consultor econômico da Associação Comercial e Industrial de Londrina (Acil), Marcos Rambalducci, afirma, porém, que a única possibilidade para números tão positivos em Ponta Grossa ou mesmo para os da RMC seria a contabilização de parte das vendas de dezembro em janeiro. "Londrina e as outras regiões é que estão em linha com a situação econômica, porque existe a expectativa de uma retração do varejo neste ano devido a uma certa preocupação do consumidor com a economia", diz. 

Rambalducci considera que um mês é pouco para se prever um resultado anual, mas cita indicadores negativos para justificar a tendência. "O consumidor está endividado, a inflação está mais alta e há um pessimismo generalizado." 

Consultor econômico da Associação Comercial do Paraná (ACP) e diretor executivo do Instituto Datacenso, Claudio Shimoyama também não conseguiu explicação para os números de Ponta Grossa. "Janeiro é um mês horrível para o comércio e dezembro é o melhor do ano, seguido por maio, por causa do Dia das Mães. Em janeiro, o consumidor guarda dinheiro para pagar impostos, usa nas férias ou em material escolar." 

Shimoyama lembra ainda que houve alta nos juros, o que diminui o acesso ao crédito e tende a reduzir a demanda neste ano ante 2014. Ele afirma que a ACP tem números diferentes dos divulgados pela Fecomércio-PR, que apontam queda no faturamento em Curitiba, em janeiro. "A situação econômica deve fazer com que o setor tenha uma retração significativa em 2015, talvez com o pior rendimento dos últimos anos." 

Divisão por segmentos

O faturamento com combustíveis apresentou a maior variação em relação a janeiro de 2014 em Londrina (45,58%), RMC (34,43%) e na média paranaense (33,18%). Em caminho inverso, as concessionárias de veículos foram responsáveis pelos piores resultados regionais em Londrina (-28,34%), Oeste (-28,90%), Ponta Grossa (-27,79%) e na média estadual (-24,95%). "No caso dos combustíveis, o aumento é financeiro, e não necessariamente de quantidade, porque o preço subiu bastante", diz o consultor da ACP. 

Para o economista da Acil, o caso das concessionárias é explicado pela cautela e endividamento da população. "O consumidor está com a renda comprometida e depende de financiamentos, que estão menos acessíveis, então deve migrar o consumo para outros segmentos", diz. "Nunca se vendeu tantos veículos como nos últimos anos, então as revendedoras não vão bater os mesmos números porque o consumidor já está de carro novo e não vai trocar por receio sobre a economia", completa Shimoyama.

 
Theo Marques/28-10-2014
Provavelmente pelo aumento de preço, o setor de combustível teve alta no faturamento de mais de 45%

http://www.folhaweb.com.br/?id_folha=2-1--1266-20150312&tit=faturamento+do+comercio+em+janeiro+cai+14