Associado
ASERC - Associação Nacional das Empresas de Recuperação de Crédito

Informativo

Publicado em 17/03/2015 09:45

Previsões para inflação sobem de 7,77% para 7,93%

Brasília - Depois de a inflação ter ficado em janeiro e fevereiro acima das expectativas e da disparada recente do dólar frente o real, analistas do mercado financeiro tiveram que rever suas projeções

Brasília - Depois de a inflação ter ficado em janeiro e fevereiro acima das expectativas e da disparada recente do dólar frente o real, analistas do mercado financeiro tiveram que rever suas projeções para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). As mudanças nas previsões, captadas pelo Boletim Focus foram para pior. As previsões para o IPCA de 2015 passaram de uma alta de 7,77% para 7,93%. 

A Focus, a cada semana, tem apresentado elevações seguidas das projeções para os indicadores de custo de vida. Com essa última correção, chegou-se a 11 semanas consecutivas de piora nas previsões. Há um mês, a mediana das estimativas para a inflação do ano estava em 7,27%. Caso esse resultado se confirme ao fim de 2015, o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, será obrigado a escrever uma carta pública explicando os motivos de o IPCA não ter ficado abaixo de 6,5% - valor definido como o limite máximo de tolerância da meta de inflação. 

Entre o grupo de analistas que mais acertam as previsões, chamado de TOP 5, a expectativa também é de que a autoridade monetária não entregue a inflação dentro da meta. Esses cinco especialistas, inclusive, têm projetado um cenário pior que a mediana do mercado. Para esses profissionais, a mediana para o IPCA deste ano segue acima da banda superior da meta e passou de 7,97% na semana passada para 8,33% agora. Quatro semanas atrás, estava em 7,12%. 

Uma inflação menor, no entanto, só é esperada pelo Banco Central em 2016. Depois de um 2015 com o consumidor pressionado pelo aumento do custo de vida, o IPCA entraria num período de declínio.

http://www.folhaweb.com.br/?id_folha=2-1--1759-20150317&tit=previsoes+para+inflacao+sobem+de+777+para+793