Associado
ASERC - Associação Nacional das Empresas de Recuperação de Crédito

Informativo

Publicado em 05/05/2015 10:13

Inflação em 2015 na Focus sobe para 8,26%

Para o fim de 2016, a mediana das projeções para o IPCA foi mantida em 5,60%, mesmo número de quatro semanas atrás

Brasília - Pela terceira semana consecutiva, os analistas ouvidos pelo Banco Central para o boletim Focus, divulgado ontem, elevaram a previsão para o IPCA deste ano. A expectativa é que o índice oficial de inflação encerre 2015 em 8,26%, contra 8,25% na semana anterior. Há um mês, essa projeção estava em 8,20%. O próprio Banco Central, responsável pela divulgação do Focus, espera uma inflação de 7,9% este ano. 

No Top 5 de médio prazo, que é o grupo dos economistas que mais acertam as estimativas, o movimento também foi de alta. A mediana para o IPCA deste ano segue bem acima da banda superior de 6,5% da meta e passou de 8,67% para 8,73% esta semana. Quatro semanas atrás, estava em 8,44%. 

Para o fim de 2016, a mediana das projeções para o IPCA foi mantida em 5,60%, mesmo número de quatro semanas atrás. Já no Top 5, a projeção para a inflação ao final do ano que vem se manteve em 6,40% - um mês antes estava em 5,64%. De acordo com o Relatório Trimestral de Inflação do BC divulgado em abril, a taxa ficará em 4,9% pelo cenário de mercado - que considera juros e dólar constantes - ou em 5,1%, levando-se em consideração as estimativas da Focus imediatamente anterior ao documento. 

As expectativas para a inflação suavizada 12 meses à frente, no entanto, foram reduzidas de 6% para 5,96%.Para o fim de abril, a projeção para o IPCA foi mantida em 0,70% e, para maio, em 0,50%. 

Retração PIB
O mercado financeiro espera uma piora na atividade econômica, com retração ainda maior no Produto Interno Bruto (PIB) de 2015. A projeção do Boletim Focus, passou de queda de 1,10% para 1,18%. Há quatro semanas, a expectativa era de queda de 1,01% no PIB deste ano. Para 2016, a mediana das projeções se manteve em crescimento de 1%. Há um mês, a estimativa era de alta de 1,10%. 

Os resultados do PIB sofreram influência das expectativas sobre a produção industrial, cuja mediana das estimativas para este ano segue em baixa de 2,50% - quatro semanas atrás, estava em -2,64%. Para 2016, as apostas de expansão para a indústria seguem em 1,50% há quatro semanas consecutivas. 

Os analistas esperam que a relação entre a dívida líquida do setor público e o PIB encerre 2015 em 38% - a mesma projeção vem sendo feita há oito semanas seguidas. Para 2016, as expectativas passaram de 38,90% para 38,70%. 

Balança
As projeções do mercado financeiro para a balança comercial deste ano pioraram, de acordo com o Relatório de Mercado Focus. A mediana das estimativas para o saldo comercial em 2015 caiu de um saldo positivo de US$ 4,17 bilhões para US$ 4,02 bilhões - um mês antes essa previsão também estava em US$ 4,02 bilhões. Para 2016, a mediana das projeções apresentou estabilidade em um superavit de US$ 9,95 bilhões. Um mês atrás, essa estimativa era de US$ 10 bilhões. 

No caso das previsões para a conta corrente, o mercado financeiro espera agora um deficit de US$ 78,55 bilhões, ante US$ 78,00 bilhões na semana anterior. Quatro semanas atrás,a projeção era de deficit de US$ 77 bilhões. 

Os analistas consultados semanalmente pelo BC estimam que o ingresso de Investimento Estrangeiro Direto (IED) será insuficiente para cobrir esse resultado deficitário em 2015 e também no ano que vem. A mediana das previsões passou de US$ 57 bilhões para US$ 57,50 bilhões em 2015 e se manteve em US$ 60 bilhões em 2016.

 

http://www.folhaweb.com.br/?id_folha=2-1--372-20150505&tit=inflacao+em+2015+na+focus+sobe+para+826