Associado
ASERC - Associação Nacional das Empresas de Recuperação de Crédito

Informativo

Publicado em 27/05/2015 11:55

Detalhes simples fazem a poupança render mais

Saiba como extrair o máximo da caderneta, que vive período difícil, com baixa rentabilidade e acumulando mais saques do que depósitos

Embora seja a aplicação mais conhecida e popular do país, a caderneta de poupança guarda “pequenos segredos” que podem comprometer a rentabilidade, já reduzida diante da combinação de inflação e juros em alta. Atenção a esses detalhes, além de uma dose de método e disciplina, ajuda a caderneta a se tornar uma reserva financeira mais interessante.

O principal detalhe a que o poupador deve atentar é a data de aniversário da conta, que é o dia do mês em que o dinheiro foi aplicado. A remuneração de juros, que é mensal, ocorre toda vez que a data se repete, nos períodos seguintes. A exceção são os depósitos feitos nos dias 29, 30 e 31, que recebem juros no dia 1º. Sacar valores antes dessa data implica perda do rendimento acumulado no período anterior e, portanto, depreciação do montante aplicado.

O ideal é que o depositante se lembre dessas datas ou, então, que eleja determinado dia do mês para fazer as operações, de forma a vincular o rendimento a um único dia mensal. “É legal programar os depósitos para que aconteçam sempre no mesmo dia, porque, ao longo do tempo, é normal ir perdendo esse controle de datas”, diz a planejadora financeira Licelys Marques, certificada via IBCPF.

Outra armadilha é esperar o mês transcorrer para, ao final dele, realizar o depósito. A recomendação de Thiago Alvarez, fundador de aplicativo de controle financeiro GuiaBolso, é de que o aporte seja realizado logo após o recebimento do salário, de forma a evitar que despesas supérfluas consumam o dinheiro que seria destinado à caderneta.

Alvarez afirma que, para um bom orçamento doméstico, é preciso reservar para a poupança em torno de 15% da renda mensal, deixando 50% para gastos essenciais e os 35% restantes, para despesas especiais, conforme o padrão de vida que se almeja.

Também estão entre as recomendações de especialistas a realização de depósitos programados, em que o dinheiro é transferido da conta corrente para a poupança automaticamente, em dia escolhido e com valor previamente definido. A dica é especialmente útil para quem tem pouca disciplina para poupar voluntariamente.

Mau investimento

Embora seja interessante como reserva financeira, a caderneta é criticada pela ótica de investimento, já que tem rentabilidade excessivamente baixa – neste ano, inferior à variação da inflação. Um hipotético investimento de R$ 1 mil, feito no começo do ano, acarretaria prejuízo de R$ 28,20 até abril, consideradas a rentabilidade da caderneta (1,74%) e a inflação oficial (4,56%) do período.

“Quem investiu na poupança perdeu poder de compra, e isso é preocupante. Se, ao longo do tempo, você investir em produtos que perdem para a inflação, o dinheiro estará se descapitalizando”, diz Licelys.

A tendência é de que a caderneta só recupere rentabilidade – hoje, está em torno de 0,60% ao mês – à medida que a inflação recue e permita o relaxamento da taxa básica de Juros (Selic), em curva ascendente há três anos e meio e, hoje, em 13,25% ao ano. Até lá, a recomendação é usar a poupança apenas para fins de reserva emergencial, com atenção às dicas para elevar a discreta rentabilidade.

Recomendações

Faça a sua caderneta render o máximo possível:

Não deixe dinheiro parado. Direcione para a poupança valores que estão parados na conta corrente, sem expectativa iminente de uso, para que sejam remunerados com juros mensais.

Deposite na mesma data. Faça os depósitos sempre no mesmo dia do mês, para facilitar o controle da data de aniversário da poupança, dia em que os juros são creditados.

Aplique logo. Aplique o dinheiro assim que receber o salário, de forma a evitar canalizá-lo para despesas supérfluas.

Programe o depósito. Programe a conta corrente para depositar automaticamente na poupança, em dia a ser escolhido, o valor desejado. Isso automatiza o processo e previne esquecimentos.

Guarde dinheiro extra. Se você tem dificuldade para poupar mensalmente, opte por depositar dinheiro extra, como 13º salário e restituição de Imposto de Renda, que não exigem aportes periódicos.

 

ww.gazetadopovo.com.br/economia/financas-pessoais/detalhes-simples-fazem-a-poupanca-render-mais-aeszmo9cg2kv0uvl6a2jmhl8s