Associado
ASERC - Associação Nacional das Empresas de Recuperação de Crédito

Informativo

Publicado em 16/06/2015 09:02

3 dicas para usar bem o dinheiro da restituição do Imposto de Renda

A Receita Federal deposita nesta segunda-feira (15) o pagamento do primeiro lote de restituições do Imposto de Renda de 2015 (ano-base 2014).

A Receita Federal deposita nesta segunda-feira (15) o pagamento do primeiro lote de restituições do Imposto de Renda de 2015 (ano-base 2014). Serão pagas também as restituições de lotes residuais de 2014, 2013, 2012, 2011, 2010, 2009 e 2008.
 
Para Mauro Calil, especialista em investimentos do banco Ourinvest, e Miguel Ribeiro de Oliveira, diretor-executivo da Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade), o melhor destino do dinheiro é quitar as dívidas.
 
1) Pague as dívidas mais caras
 
Quite ou diminua endividamentos caros, como dívidas no cheque especial ou no cartão de crédito
 
Essas dívidas podem ter juros de 10% ao mês, o que faz com que elas aumentem de valor muito rapidamente
  
O Código de Defesa do Consumidor garante o abatimento dos juros quando a quitação da dívida ocorre antecipadamente
 
2) Em vez de investir, pague dívidas menores
 
Mesmo não tendo dívidas tão caras quanto cheque especial e cartão de crédito, Oliveira sugere usar a restituição para abater ou quitar as dívidas de outros financiamentos, tais como empréstimo consignado ou prestações de lojas
 
Um investimento pode pagar menos que o custo da prestação. Os juros do consignado variam de 1,9% a 3% ao mês, enquanto uma aplicação financeira em renda fixa paga, em média, 0,82% ao mês, diz
 
3) Inicie ou reforce a poupança
 
Para quem está sem dívidas, o ideal é iniciar ou reforçar a poupança
Criar uma reserva de emergência, que cubra de três a seis meses de despesas, e, depois, começar a formar uma poupança para realizar os sonhos, tais como troca de carro ou aposentadoria sustentável
 
A sugestão de investimento é na renda fixa, por conta da alta taxa de juros
Calil sugere investir nos títulos do Tesouro Direto 
 
No curto prazo (até um ano), investir nos títulos do Tesouro Selic, que acompanham a alta de juros
 
No longo prazo, os títulos do Tesouro que acompanham a inflação, Tesouro IPCA+
 
Oliveira diz que fundos DI com baixas taxas de administração também são boas opções
 
Esqueça a poupança, pois ela está perdendo da inflação
 
 
http://aserc.org.br/3-dicas-para-usar-bem-o-dinheiro-da-restituicao-do-imposto-de-renda