Associado
ASERC - Associação Nacional das Empresas de Recuperação de Crédito

Informativo

Publicado em 07/07/2015 09:26

Crise afeta confiança e desacelera nascimento de empresas, revela Serasa

O Indicador Serasa Experian de Nascimento de Empresas registrou a criação de 174.031 novos empreendimentos no Brasil em maio deste ano, aumento de 3,5% em relação ao mês de abril

O Indicador Serasa Experian de Nascimento de Empresas registrou a criação de 174.031 novos empreendimentos no Brasil em maio deste ano, aumento de 3,5% em relação ao mês de abril, quando 168.124 novas empresas foram criadas. O número representa alta de 6,9% comparado ao montante de novos empreendimentos surgidos em maio de 2014 (162.781). 

Entre janeiro e maio de 2015 foram criados 822.519 novos empreendimentos em território nacional. Este número representa alta de 3,4% em relação ao total de novas empresas instituídas durante o mesmo período de 2014 (795.328). Vale lembrar que no período de janeiro a maio do ano passado, o número de novas empresas criadas havia sido 5,2% superior aos primeiros cinco meses de 2013. 

De acordo com os economistas da Serasa Experian, a desaceleração da abertura de novas empresas neste ano – alta de 3,4% no acumulado de janeiro a maio de 2015 contra aumento de 5,2% no mesmo período do ano passado – é reflexo da recessão da economia bem como da queda da confiança de empresários e consumidores. 

Nascimento de Empresas por natureza jurídica 
O número de novos Microempreendedores Individuais (MEIs) surgidos em maio foi de 132.661 contra 126.932 em abril, alta de 4,5%. As Sociedades Limitadas registraram criação de 17.210 unidades, representando queda de 1,3% em relação ao mês anterior, quando 17.443 empresas surgiram. A criação de Empresas Individuais aumentou 3,1%, com um total de 15.436 novos negócios em maio; em abril, o número foi de 14.965 O nascimento de novas empresas de outras naturezas teve queda de 0,7%, com 8.724 nascimentos em abril, contra 8.784 do mês anterior. 

A crescente formalização dos negócios no Brasil é responsável pelo aumento constante das MEIs, registrado desde o início da série histórica do indicador. Em seis anos, passaram de menos da metade dos novos empreendimentos (43,8%, em 2010) para 75,7% no último levantamento. 

Nascimento de Empresas por Região 
O Sudeste segue liderando o ranking de nascimento de empresas, com 414.018 novos negócios abertos entre janeiro e maio de 2015 ou 50,3% do total. A Região Nordeste ocupou o segundo lugar, com 18,3% (150.188 empresas). A Região Sul segue em terceiro lugar, com 16,6% de participação e 136.682 novas empresas. O Centro-Oeste registrou a abertura de 78.269 empresas e foi responsável por 9,5% de participação, seguido pela Região Norte, com 43.361 novas empresas ou 5,3% do total de empreendimentos inaugurados. 

A Região Sul foi a que registrou maior alta no número de nascimentos (5,2%) comparando-se os meses entre janeiro e maio de 2015 com igual intervalo do ano anterior. A região Nordeste teve crescimento de 4,6% no período. Na região Sudeste houve alta de 3,0% e a Centro-Oeste apresentou crescimento de 1,9%. A região Norte apresentou o menor crescimento no período (1,3%). 

Nascimento de Empresas por Setor 
O setor de serviços continua sendo o mais procurado por quem quer empreender: de janeiro a maio de 2015, 504.428 novas empresas surgiram neste segmento, o equivalente a 61,3% do total. Em seguida, 248.488 empresas comerciais (30,2% do total) e, no setor industrial, foram abertas 67.107 empresas (8,2% do total) neste mesmo período. 

Observa-se nos últimos seis anos um crescimento constante na participação das empresas de serviços no total de empresas que nascem no país, passando de 53,1% (janeiro a maio de 2010) para 61,3% (janeiro a maio de 2015). 

Por outro lado, a participação do setor comercial de empresas que surgem no país tem recuado nos últimos anos (de 35,3%, de janeiro a maio de 2010, para 30,2% no mesmo período de 2015). Já a participação das novas empresas industriais se mantém estável. 

Metodologia do estudo sobre Nascimento de Empresas 
Para o levantamento do Nascimento de Empresas foi considerada a quantidade mensal de novas empresas registradas nas juntas comerciais de todas as Unidades Federativas do Brasil bem como a apuração mensal dos CNPJs consultados pela primeira vez à base de dados da Serasa Experian.

 

http://www.bonde.com.br/?id_bonde=1-39--48-20150706&tit=crise+afeta+confianca+e+desacelera+nascimento+de+empresas+revela+serasa