Associado
ASERC - Associação Nacional das Empresas de Recuperação de Crédito

Informativo

Publicado em 02/09/2015 10:52

3 sinais de que a economia global não vai nada bem

A semana passada não foi fácil nem aqui nem no resto do mundo.

A semana passada não foi fácil nem aqui nem no resto do mundo.
 
Ela começou com uma segunda-feira de mercados em queda livre e terminou com números do PIB brasileiro mostrando a profundidade da crise.
 
Nesta semana, ainda é terça-feira e já temos o envio ao Congresso de um Orçamento com déficit primário e outra porção de maus augúrios na economia global.
 
Christine Lagarde, diretora do FMI (Fundo Monetário Internacional), diz que há uma "recuperação mais fraca do que se esperava nas economias avançadas e uma nova desaceleração nas economias emergentes, particularmente na América Latina".
 
Veja 3 sinais negativos revelados hoje:
 
1. O Canadá está em recessão
 
O PIB do Canadá caiu 0,5% no segundo trimestre depois de cair 0,8% no primeiro. Dois trimestres seguidos para baixo são o que os economistas chamam de "recessão técnica".
 
Para determinar se a recessão é para valer, eles olham para outras coisas. E há motivos para otimismo: o PIB caiu por cinco meses consecutivos mas subiu 0,5% em junho, e tanto o emprego quanto o consumo das famílias resistiu.
 
O Canadá é um grande produtor de petróleo e sofre com a queda do preço para o nível mais baixo desde 2009. A economia deve ser central nas eleições de 19 de outubro, que ameaçam o primeiro-ministro Stephen Harper, no poder desde 2006 pelo Partido Conservador. 
 
2. As exportações da Coreia do Sul desabaram
 
As exportações da Coreia do Sul desabaram quase 15% em agosto em relação ao mesmo mês em 2014. Foi a a maior queda desde agosto de 2009 (auge da crise financeira mundial) e quase o dobro da previsão de 5,9% citada pela Bloomberg.
 
Os economistas olham de perto este indicador porque a economia da Coreia do Sul é bastante aberta e dependente da China e do Japão, segunda e a terceira maiores economias do mundo, respectivamente. 
 
Além disso, as exportações sul-coreanas são o primeiro número a ser revelado entre as grandes economias. O Goldman Sachs e o UBS o apelidaram de "canário na mina de carvão", em referência a uma tática usada pelos mineiros para monitorar o nível de gases tóxicos. O canário era o primeiro a morrer, indicando que chegava a hora de fugir.
 
3. A atividade industrial decepcionou na Europa, na China, nos Estados Unidos e no Brasil
 
Foi divulgado hoje o Índice de Gerente de Compras (PMI, na sigla em inglês para Purchasing Managers Index), pesquisa mensal que monitora o nível de atividade nas empresas privadas industriais.
 
Acima de 50 indica expansão e abaixo de 50 indica contração. Nos Estados Unidos, ele ficou em 53. segundo a Markit - abaixo de julho e o menor nível desde outubro de 2013. 
 
Na zona do euro, o PMI foi de 52,3 também pela Markit, abaixo da preliminar que havia sugerido estabilidade com os 52,4 de julho. Mas a pior notícia vem da China, onde o PMI oficial do governo ficou em 49,7 ante 50 em julho.
 
É o patamar mais baixo em 3 anos. A pesquisa da Markit só com empresas menores ficou em 47,3, pior número desde março de 2009.
 
Tudo isso alimenta o medo de que a China possa estar desacelerando rápido demais, o que repercute no mundo inteiro e causou a turbulência da semana passada. 
 
Já no Brasil, o índice de PMI da Markit caiu pelo sétimo mês consecutivo: de 47,2 em julho para 45,8 em agosto, o pior nível em 4 anos.
 
 
http://aserc.org.br/3-sinais-de-que-a-economia-global-nao-vai-nada-bem