Associado
ASERC - Associação Nacional das Empresas de Recuperação de Crédito

Informativo

Publicado em 11/09/2015 11:36

Lançamentos de imóveis em SP têm pior julho desde 2005

Recorde negativo: os lançamentos de julho na capital paulista somaram apenas 825 unidades, uma queda de 59,5% sobre junho e de 26,9% sobre o mesmo mês do ano passado

SÃO PAULO - Os lançamentos de imóveis residenciais na cidade de São Paulo em julho tiveram o nível mais baixo para o mês desde 2005, com as vendas recuando quase 60% sobre o mês anterior, informou nesta sexta-feira a entidade que representa o setor, Secovi-SP.

Segundo o levantamento mensal, os lançamentos de julho na capital paulista somaram apenas 825 unidades, uma queda de 59,5% sobre junho e de 26,9% sobre o mesmo mês do ano passado.

"O fato marcante refere-se aos lançamentos na cidade de São Paulo, que teve a menor quantidade de unidades colocadas à venda para um mês de julho desde 2005", afirmou o Secovi-SP em comunicado à imprensa.

 "O comportamento acabou influenciando as vendas, já que o maior volume de unidades negociadas em um empreendimento está concentrado justamente no lançamento, período no qual se aplica o maior esforço em marketing", acrescentou.

As vendas de imóveis residenciais novos na capital paulista em julho caíram 59,7% sobre junho, mas avançaram 41,6% na comparação anual, para 1.042 unidades.

Segundo o Secovi-SP, as vendas de julho de 2014 tinham sido impactadas pela realização da Copa do Mundo de futebol no país.

No acumulado do ano até julho, os lançamentos somam 10.478 unidades enquanto as vendas foram de 10.700. No mesmo período do ano passado, os lançamentos foram quase 32% maiores que as vendas.

"Além de um ambiente econômico e político que assegurem o retorno da confiança, é necessário, também, que haja condições de financiamento imobiliário com taxa de juros e condições adequadas", afirmou o presidente do Secovi-SP, Claudio Bernardes, em comunicado.

 

http://exame.abril.com.br/economia/noticias/lancamentos-de-imoveis-residenciais-na-cidade-em-sp-tem-pior-julho-desde-2005