Associado
ASERC - Associação Nacional das Empresas de Recuperação de Crédito

Informativo

Publicado em 20/04/2012 03:09

Dívidas de financiamentos fazem inadimplência dobrar

A inadimplência aumentou em abril e atingiu um percentual de 29% contra 14% em março.

Curitiba - 20/04/2012

A inadimplência aumentou em abril e atingiu um percentual de 29% contra 14% em março. Os dados fazem parte de uma pesquisa realizada pela Associação Comercial do Paraná (ACP) para verificar o nível de endividamento dos consumidores. De acordo com o levantamento, isso ocorreu em função do percentual elevado da falta de pagamento dos financiamentos de veículos. Foram entrevistados quase 800 consumidores entre os dias 9 e 13 de abril.

A inadimplência continua alta entre consumidores do sexo masculino (56%), mas em abril tornou-se mais acentuada na faixa etária dos 31 a 50 anos. A principal explicação é que esses consumidores geralmente compram em seu nome para outras pessoas da família. Muitas vezes o familiar não paga as prestações e, por isso, quem fez o empréstimo do nome acaba sendo registrado no Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC) NULL, analisou a supervisora do Departamento de Serviços da ACP e coordenadora da pesquisa, Simone Scuissato.

Na série iniciada em março passado foi detectada a probabilidade de crescimento da inadimplência em abril, em função do não pagamento dos carnês de financiamento de veículos. A tendência foi confirmada por 33% dos consumidores entrevistados, que aproveitaram para adquirir o carro próprio no final do ano com recursos do 13º, salário, férias e restituição do Imposto de Renda.

Simone disse que, quando chega a hora do pagamento do IPVA, mensalidades escolares e outras necessidades básicas, o consumidor opta por não pagar o financiamento do carro, que na maioria das vezes tem valor maior que as demais dívidas .

Outro aspecto observado na pesquisa foi o elevado volume de cheques sem fundo ou conta bancária encerrada. Ela explicou que muitos consumidores que já têm o nome registrado no SCPC por falta de pagamento do cartão de crédito, usaram cheques em novas compras. Segundo ela, há lojistas que consultam apenas a situação do cheque da pessoa e acabam fazendo a venda.

Os entrevistados revelaram que o principal motivo da inadimplência foi o desemprego (30%), seguido pelo empréstimo do nome (29%) e descontrole de gastos (22%). A quitação dos débitos está no planejamento financeiro de 60% dos consumidores convencidos da necessidade de controlar os gastos, levando 54% a declarar a intenção de fazer novas compras assim que tenham saldado os compromissos vencidos.

Simone prevê que o nível de inadimplência aumente ainda mais porque os juros estão altos. Simone acredita que o endividamente comece a diminuir apenas no final do ano, a partir do mês de outubro. Nesta época, grande parte dos consumidores regulariza a situação financeira para poder fazer novas compras para as festas de fim de ano. Hoje, a média mensal de pessoas que consulta o SCPC da Associação Comercial do Paraná é de 20 mil.

A dica da supervisora é para que os consumidores procurem gastar de acordo com o que ganham. Outra recomendação é colocar tudo no papel, seja numa planilha eletrô,nica ou numa agenda.

Fonte: Folhaweb