Associado
ASERC - Associação Nacional das Empresas de Recuperação de Crédito

Informativo

Publicado em 20/10/2015 03:24

Inadimplência avança em escolas e reverte tendência dos últimos anos

A inadimplência no setor de educação – incluindo ensino fundamental, médio e superior – registrou um crescimento de 22,6% no primeiro semestre deste ano quando comparada ao mesmo período de 2014.

A inadimplência no setor de educação – incluindo ensino fundamental, médio e superior – registrou um crescimento de 22,6% no primeiro semestre deste ano quando comparada ao mesmo período de 2014. Trata-se de uma taxa superior à inadimplência geral do consumidor, que apurou alta de 16,4% entre janeiro e junho deste ano, segundo levantamento realizado pela Serasa Experian. Além disso, os dados mostram uma reversão de tendência nesse indicador, que vinha mostrando queda nos últimos anos no setor de educação.
 
Ainda segundo dados da Serasa Experian, a inadimplência no ensino superior aumentou 22,4% nos seis primeiros meses de 2015 em relação a um ano antes.
 
O Semesp, sindicato das instituições de ensino superior, por sua vez, projeta para o setor uma taxa de inadimplência de 8,5% neste ano, o que equivale a uma elevação de aproximadamente 9% quando comparada a 2014. Vale destacar que o Semesp considera em seu levantamento os atrasos de mais de 90 dias no pagamento da mensalidade.
 
“Há cinco anos, o setor registrava quedas consecutivas na inadimplência devido à expansão da economia e aumento na oferta do Fies [financiamento estudantil do governo federal]. Em 2009, a taxa de inadimplência foi de 10% e no ano passado ficou em 7,8%”, disse Rodrigo Capelato, secretário-executivo do Semesp. Capelato pontuou que, se forem considerados os atrasos de menos de 30 dias no pagamento das mensalidades dos cursos de ensino superior, a taxa de inadimplência gira entre 13% e 15%.
 
Já nas escolas de ensinos fundamental e médio, o atraso no pagamento das mensalidades no primeiro semestre deste ano foi 25,9% maior em relação ao registrado um ano antes, de acordo a Serasa Experian. A Federação Nacional das Escolas Particulares (Fenep) informou que a taxa de inadimplência nas instituições de ensino fundamental e médio está em 18% nos primeiros dez dias do mês, quando ocorre a data de vencimento das mensalidades. No entanto, esse percentual cai para 11% a 12% no restante do mês, uma vez que muitos pais pagam a mensalidade com atraso.
 
No ano passado, a inadimplência era de 8% no começo do mês. “Percebemos, sim, um aumento na inadimplência, mas ainda não registramos evasão. As escolas demoram mais para negativar o inadimplente porque os pais costumam negociar os débitos para fazer a rematrícula”, disse Amábile Pacios, presidente da Fenep.
 
A Secretaria da Educação de Brasília informou, nesta semana, que espera receber 15 mil alunos oriundos de escolas particulares na rede pública no próximo ano, devido ao cenário macroeconômico. “Acredito que essas transferências serão de alunos das classes C e D que recentemente foram para a rede privada”, disse Amábile. Em Brasília, há 650 mil estudantes matriculados em escolas particulares de ensino fundamental.
 
O levantamento da Serasa Experian destaca ainda que as instituições de ensinos fundamental e superior também estão atrasando o pagamento de fornecedores. A inadimplência aumentou 26,7% no primeiro semestre do ano. “Com aumento da inadimplência dos alunos, as escolas também passaram a atrasar as suas contas com seus fornecedores”, informa a Serasa. A inadimplência das escolas de educação básica subiu 27,2% e das universidade, aumentou 25,3%, no primeiro semestre.
 
 
http://aserc.org.br/inadimplencia-avanca-em-escolas-e-reverte-tendencia-dos-ultimos-anos