Associado
ASERC - Associação Nacional das Empresas de Recuperação de Crédito

Informativo

Publicado em 03/02/2016 11:04

Preço médio dos imóveis tem leve queda em janeiro

Rio de Janeiro se mantém como a cidade com o preço do metro mais caro do país, segundo o índice FipeZap

O Índice FipeZap, que acompanha o preço de venda dos imóveis em vinte cidades brasileiras, teve leve queda de 0,08%, em janeiro. Nove das vinte cidades pesquisadas tiveram baixa, e nas outras onze houve aumento nominal na comparação com dezembro.

Apesar do resultado observado, em todas elas o aumento foi menor do que a inflação esperada para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de janeiro, que acelerou 1,06%, de acordo com o Boletim Focus, do Banco Central.

Nos últimos doze meses, o Índice FipeZap registrou crescimento de 0,85%. Como a inflação esperada para o IPCA nesse período é de 10,48%, o preço médio anunciado do metro quadrado apresentou queda real de 8,71%.

Todas as cidades que compõem o Índice FipeZap registraram variações inferiores à inflação, sendo que os preços em Belo Horizonte, Curitiba, Rio de Janeiro, Recife, Niterói e no Distrito Federal apresentaram queda nominal.

O valor médio anunciado do metro quadrado das vinte cidades em dezembro foi de 7.607 reais. Rio de Janeiro se mantém como a cidade com o metro mais caro do país, 10.401 reais, seguida por São Paulo, 8.607 reais. Já os dois municípios com menor preço por metro foram Contagem, 3.543 reais, e Goiânia, 4.204 reais.

O índice também levou em conta os bairros com os maiores e menores preços de área de imóveis em São Paulo e Rio de Janeiro.

Na capital paulista, Vila Nova Conceição e Cidade Tiradentes são os bairros com o maior contraste de valor cobrado por metro quadrado, de 15.519 reais e 2.747 reais, respectivamente, uma diferença de 464%. No Rio, Leblon é o bairro mais caro, com 22.165 reais o metro quadrado, um custo dez vezes maior que o Cavalcanti, onde o metro quadrado sai por 2.341 reais.

O Índice FipeZap, que acompanha o preço de venda dos imóveis em vinte cidades brasileiras, teve leve queda de 0,08%, em janeiro. Nove das vinte cidades pesquisadas tiveram baixa, e nas outras onze houve aumento nominal na comparação com dezembro.

Apesar do resultado observado, em todas elas o aumento foi menor do que a inflação esperada para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de janeiro, que acelerou 1,06%, de acordo com o Boletim Focus, do Banco Central.

Nos últimos doze meses, o Índice FipeZap registrou crescimento de 0,85%. Como a inflação esperada para o IPCA nesse período é de 10,48%, o preço médio anunciado do metro quadrado apresentou queda real de 8,71%.

Todas as cidades que compõem o Índice FipeZap registraram variações inferiores à inflação, sendo que os preços em Belo Horizonte, Curitiba, Rio de Janeiro, Recife, Niterói e no Distrito Federal apresentaram queda nominal.

O valor médio anunciado do metro quadrado das vinte cidades em dezembro foi de 7.607 reais. Rio de Janeiro se mantém como a cidade com o metro mais caro do país, 10.401 reais, seguida por São Paulo, 8.607 reais. Já os dois municípios com menor preço por metro foram Contagem, 3.543 reais, e Goiânia, 4.204 reais.

O índice também levou em conta os bairros com os maiores e menores preços de área de imóveis em São Paulo e Rio de Janeiro.

Na capital paulista, Vila Nova Conceição e Cidade Tiradentes são os bairros com o maior contraste de valor cobrado por metro quadrado, de 15.519 reais e 2.747 reais, respectivamente, uma diferença de 464%. No Rio, Leblon é o bairro mais caro, com 22.165 reais o metro quadrado, um custo dez vezes maior que o Cavalcanti, onde o metro quadrado sai por 2.341 reais.

 

Fonte: http://www.aserc.org.br/preco-medio-dos-imoveis-tem-leve-queda-em-janeiro