Associado
ASERC - Associação Nacional das Empresas de Recuperação de Crédito

Informativo

Publicado em 23/03/2016 11:55

Prévia da inflação desacelera para 0,43% e é a menor para março desde 2012

O IPCA-15 (Índice de Preços ao Consumidor - Amplo 15), considerado uma prévia da inflação oficial (IPCA), desacelerou para 0,43% em março

IPCA-15 (Índice de Preços ao Consumidor - Amplo 15), considerado uma prévia da inflação oficial (IPCA), desacelerou para 0,43% em março, no valor mais baixo para o mês desde 2012, quando havia sido de 0,25%. 

Em fevereiro, o indicador havia registrado alta de 1,42% nos preços. Em março de 2015, havia atingido 1,24%. 

Os dados foram divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta quarta-feira (23).

Em 12 meses, o indicador acumula alta de 9,95%, abaixo de 10% pela primeira vez desde outubro (9,77%), em meio ao cenário de recessão econômica e forte turbulência política. 

O valor continua acima do limite máximo da meta do governo. O objetivo é manter a alta dos preços em 4,5% ao ano, mas há uma tolerância de dois pontos percentuais para mais ou para menos, ou seja, a inflação pode variar entre 2,5% e 6,5%.

A inflação oficial no Brasil fechou 2015 em 10,67%, acima do limite máximo da meta. Foi a maior alta de preços anual desde 2002 (12,53%).

Cenoura é a vilã; tomate cai 19%

O preço dos alimentos subiu menos: a alta passou de 1,92% em fevereiro para 0,77% em março.

A cenoura continuou sendo a "vilã", com alta de 24,08%.

As frutas subiram 6,11% e a farinha de mandioca, 5,94%.

Por outro lado, o preço do tomate caiu 19,21% e o da batata-inglesa, 4,61%.

Combustíveis e cigarro sobem

No mês, o principal impacto individual (0,07 ponto percentual) ficou com os combustíveis, que tiveram alta de 1,23%.

"O preço do litro da gasolina subiu 0,82%, com a região metropolitana de Salvador na liderança, com 5,45%, enquanto o litro do etanol ficou 3,20% mais caro, também tendo Salvador na liderança, onde o preço do litro atingiu 9,27%", aponta o IBGE.

Os cigarros também foram destaque em março, com alta de 3,26%.

Conta de luz e passagens aéreas caem

Na outra ponta, a conta de luz e as passagens aéreas caíram.

Segundo o instituto, a energia elétrica caiu 2,87% em março; entre as regiões, a maior queda foi em Salvador: 5,85%. 

Em março, houve a redução na cobrança extra da bandeira tarifária. Além disso, algumas regiões tiveram redução nos impostos cobrados sobre a conta de luz. 

As passagens aéreas também ficaram mais baratas, de acordo com o IBGE, com queda de 10,79%.

Educação teve uma alta menor que no mês anterior: passou de 5,91% em fevereiro para 0,67% em março, deixando para trás a maior parte dos reajustes ocorridos nas mensalidades escolares.

Metodologia

O IPCA-15 refere-se às famílias com rendimento de um a 40 salários mínimos e abrange as regiões metropolitanas do Rio de Janeiro, Porto Alegre, Belo Horizonte, Recife, São Paulo, Belém, Fortaleza, Salvador e Curitiba, além de Brasília e Goiânia.

A metodologia utilizada é a mesma do IPCA, considerada a inflação oficial; a diferença está no período de coleta dos preços e na abrangência geográfica.

(Com Reuters)

 

Fonte: http://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2016/03/23/previa-da-inflacao-em-marco.htm